quinta-feira, 20 de outubro de 2011

conchavo


ah! se eu fosse do mar
decerto não teria o armarinho
minha rede seria o arrasto do pescador
na esperança do tempo das sólidas conchas
meus segredos o livramento das algas claras
sem praxes escusas, tratados de algo a mais
quem remeda conchavos com peixes
é a promiscua rede do embalo
que insiste em ser vitalícia

0 comentários:

Postar um comentário