segunda-feira, 19 de março de 2012

mudança

a dura obrigação de votar é descaradamente dita
a demo-cracia o prato frio e hipócrita do dia à dia
companheiros e companheiras da eterna batalha
não basta a farra do voto mudo pra mudar a vida
a vida por si decorre devota a todas as mudanças
é necessária a plena convicção da reconstrução
do que foi construído pela imposição retrógada
vale a pena lembrar que as armas revolucionárias
passam pelas palavras desde a língua até o gatilho
o cabresto é como asa encharcada que nunca voa
a tração de boi e jumento jaz pelo tempo do cálice
já as dores das chibatas de sangue dos castradores
esse peso é desnecessário nenhum animal merece
o direito é humanitário na dádiva do nascimento
o dever é socialização e congraça em redistribuir

1 comentários:

Luiz Noleto disse...

Caro amigo Luís a expressão "não basta a farra do voto mudo pra mudar a vida" tem nuances diversas. Quando afirmamos que só a luta muda vida nos referimos ao aspecto coletivo da luta dos trabalhadores e, com certeza, isso não passa em nenhum momento pelas eleições. No entanto, quem luta luta contra outro. Neste sentido, a luta da Classe Trabalhadora é contra a Classe Opressora. Por isso, na maioria das vezes, na luta direta, a burguesia leva vantangem. Já na via eleitoral a burguesia tem modificado ernomemente a sua vida. Quando acontece dessa via se tronar favorável a nossa classe eles apelam para o golpe militar.
Resumimdo: a luta para a nossa classe não vai mudar via eleições. Abraço.

Postar um comentário