quinta-feira, 10 de maio de 2012

verdade


a verdade é como milhões de infinitos cérebros
em seus distintos pensamentos cheios de razões
às vezes a certeza não enche a gota de sal dos olhos
um não chorar das chuvas que encharcam os risos
muitas vezes o interesse é um tiro num prato fácil
um acordar em de acordo com meras conveniências
me encantam os feitiços, tenho folclore no sangue
então podem me chamar de arrumador lunático
o rumo da lua me interessa pelo brilho da ficção
o erro da duvida cabe na dadiva de ser aprendiz

0 comentários:

Postar um comentário