domingo, 24 de junho de 2012

autonomia


derramo gotas de abaete em versos de drummond
beijo a orla de ipanema num romance louco amado
transo versos armoriais curto universos mário
beijo a boca de vocês longe as areias do olho d’água em são luis
cruzo as luzes dos faróis como um barco ilha
sob tanto céu sobre tanto mar
em meio a tantas barras tenho veias verdes
correndo em pleno corpo ereto
sou um índio azul negro branco aos raios amarelos
respiro letras de caê transpiro no embalo negro gil
não sei se sou carioca ou baiano mas sei terra mãe que me pariu
receito poesia sem contra-indicação
doses de alegria em ponto de ebulição
som e nostalgia muita intensificação
sonhos de rebeldia só os de coração
e agita filtrar em pétalas de flor
destilar ao sol de um infinito amor
desejo ouvir meu idioma nos bares e bases fundamentais
sem rótulos de cola apenas o pó das fontes naturais
neste imenso mar de amar posso cantar 
meu canto assim entoa atoa
un s’il vout plâit il fout finir le crie de mururoa

0 comentários:

Postar um comentário