terça-feira, 11 de junho de 2013

mediocrizinho III


nas carreiras dos pastos perdidos de céu
embolsos são lastros forjados de assinaturas
crivadas das mais terríveis duvidosas duvidas
avalizadas pelos dolosos sinhozinhos donos do campo
onde as vaquinhas de presépios mugem em abstinência
já que lá não pastam os excluídos boizinhos de satanás
de agua benta à de cheiro não se enche um sovaco
tudo é o mais profundo desejo sazonal de pebas
rebanhar-se é ação preponderante das oligarquias
até porque rebanho de pobre é tração de carroça
juntamente com a ingrata imposição das barricas
uma soma de apodera-mento da arte alheia
com x-nove agregado à mesquinha seita quantitativa
já seu são jorge agradece com burras cheias
sem mostrar um dente de seu tão cavalo babão
selado na fortaleza com fronteiras onde muro há
tudo em nome da fazenda “o clero das vitalícias”

0 comentários:

Postar um comentário