quarta-feira, 21 de agosto de 2013

cuba libre


jogar pedra à ermo renova o tempo da lasca
eu peço desculpas, aos lúdicos companheiros
que ao longo desses cinquenta nos varais
encenaram suas vestes de ilibados paladinos
em festas com cartuchos de verbos de festim
e que hoje estendidos sem brados retumbantes
e com prazos vencidos, dessecados pela imposição
vagam travestidos, embrulhados por selos vitalícios
que de tão cênicos se confundem aos cínicos
devo confessar o meu profundo respeito as artes
ressaltando que, não adianta cuspir nos monopólios
e andar atrelado em suas redes de conveniências
não cabe n’arte certas entrelinhas vantajosas
dissimuladas por politicas de boas vizinhanças
que quase e sempre desarmam as bocas de balas
gerando caibras nas pontas das línguas
quem diz que a hiena rir da própria miséria
envelhece tal qual serventia de sumidouro
se é para ajoelhar diante das maçanetas do sucesso
prefiro inclinar-me reverentemente
as harmonias revolucionárias de rodriguez

0 comentários:

Postar um comentário