domingo, 16 de maio de 2010

selo

eu tenho o mar das gargantas de sede
o cais de saudades incontidas
um beijo selado em cofre de segredo perdido
eu tenho a caixa porta dos desesperados

a rima incerta dos apaixonados
um beijo selado em cofre de segredo perdido
eu tenho a arma caos generalizado
espinho a flor do bem aventureiro
um beijo selado em cofre de segredo perdido
eu tenho a cãimbra estranha dos paralisados
a bancarrota dos pobres coitados
um beijo selado em cofre de segredo perdido
meu bem, mate de vez minha fome
escreva em você o meu nome
e o meu sobrenome também
meu bem, acabe com essa ansiedade
acenda feliz a cidade que a felicidade
a gente escreve com giz

1 comentários:

Suzana Martins disse...

Meu grande e querido amigo Arrumador de Palavras!!

"acenda feliz a cidade que a felicidade
a gente escreve com giz"
(Luis Lima)

Não preciso dizer mais nada. Há lágrimas por aqui e silêncio. As suas palavras tocaram (mais um vez) a minha alma!!!

Grande abraço meu amigo!

Postar um comentário