domingo, 26 de dezembro de 2010

no cangaço

extraio o doce da minha arte
no duro sabor das rapaduras
sou filho dos virgulinos lampiões
e das diversas marias bonitas
minhas palavras se embolaram
nas partículas de poeira do reconcavo
no cangaço fiz juras de eterno amor
com tantas bocas de sede
e no meu chapéu abriguei sonhos
aguardando das chuvas a renovação

1 comentários:

Suzana Martins disse...

Sou Maria Bonita, que luta pelas histórias de amor!!!

Beijos e beijos meu tão amigo Arrumador de Palavras!!^^

Postar um comentário