sexta-feira, 27 de abril de 2012

paterno

sou um defensor da liberdade das asas
o relógio me serve apenas de passatempo
os meus anseios tem as cores do imaginário
tenho pacto com as ciências dos pés fora do chão
toda forma de prazer esboça em mim um largo sorriso
o franzir da minha expressão é calma, aprendizado
mas devo confessar... costumo sacar o coração
toda vez que declaro aberta revolução em mim
nas minhas preocupações com meu guilherme

1 comentários:

Guilherme disse...

Acho que sua voz de preocupação não podia ser traduzida de forma melhor que nessas palavras.
Te amo, Zé!

Postar um comentário