sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

mediocrezinho



a mediocridade copiada é a herança dos boçais
onde toda vantagem é medida na unha
enquanto a alma descansa em forma de tédio
se conhece um animal pelo pedigree
já um beócio pelo grau de insanidade dinâmica
nessas minhas jornadas de aprendiz do universo
tive o prazer de conhecer o sonhador por mãos de barros
de conhecer o “rodador” por chagas poéticas
o guardador em cada pessoa nos infinitos plurais
até conheci uma par de dadores de ideias
mas, devo confessar de cima dos meus legítimos tamancos
que dá fé eu nunca vi, tão pouco ouvi falar
sobre tal existencialismo de doação
já vi quem vendesse  por descaramento
como produto de radio difusão, de telemarketing...
em tempos de vaidades religiosas
ninguém dá fé nem o mais “jurador” ainda que festeiro
em tempos de libertinagens em suntuosos templos
o que mias se tem é roubador de sonhos
furtador de arte alheia...

0 comentários:

Postar um comentário