quarta-feira, 25 de abril de 2018

intimamente XV




sou feito grão refeito em terra
no rumo da semeação esperança
talvez brote dai essa minha inquietação
ramificada pela giração das idéias
o meu olhar vagueia nas distancias
regido pela campana dos loucos
toda loucura prospera sede em mim
ainda que se remonte o aperto da camisa
nesses tristes dias de castrar liberdades
por ser itinerante lavrador das letras
tenho pacto com todas as palavras
aprendi a caminhar à esquerda dos ventos
num refazer poesias em rimas tatuais
ateio abrigo para todos os sorrisos
neles enxergo esquecidos versos
sei da sorte de vagar no passo das horas
pelo descompromisso com os relógios
para toda insistente fração marcada
tenho ciência de perambular o tempo
a herança dos meus ensinamentos
tem inclinações com os aconchegos
sei desenhar à mão o segundo passo
pelo esmero rascunho do primeiro dado
me encantam os riscos os rabiscos
em todo o preparo das experiências
nos encantados terreiros de guarnecer
comecei a dar vida aos sentimentos abstratos
de tanto repassar os aluados caminhos
para desembocar nas trilhas dos sonhos
passei a esparramar meu chão de estrelas
em todos os cantos do labirinto da graça
e nessa sagrada sentença de viver
rego pelos dias as noites de acordar
alimentando o meu e outros teares
na fundura de nunca fincar os pés 
por essas estâncias de correr lastros
é no alheamento dos múltiplos sentidos
que guardo os meus desgovernados anseios
e abraçado ao mago exercício de palavra dor
hei de germinar a luz da feliz cidade
aos mais diversos corações alheios...

0 comentários:

Postar um comentário