quinta-feira, 3 de junho de 2010

raros disparos

tão raros são os disparos contra as lentes
que insistem em nos mostrar de formas que não somos
novos aos moldes decadentes

impulsivos loucos e doentes
tão raros são os disparos contra as lentes
que cortam os nossos olhos quase dormentes
com seus jogos incrédulos a créditos
de cartas marcadas e lobby facista
tão raros são os disparos contra as lentes
que invadem nossas casas presentes ausentes
com claras promessas em datas distantes
em números e estatísticas irrelevantes
tão raros são os disparos contra as lentes
que elevam ao apogeu e reduzem a indigentes
que calam a voz dos que não tem vez
que roubam os sonhos dos que nem realidade tem
tão raros são os disparos contra as lentes
o que vem a ser caráter
em que consiste a personalidade
diante do uso absurdo e abusivo
que significa ter vontade
qual o verdadeiro teor da qualidade
se o que vemos é o adultero consumo exacerbado de tanto
onde a maior parte do todo não nos tem serventia
tão raros são os disparos contra as lentes

1 comentários:

Suzana Martins disse...

"tão raros são os disparos contra as lentes
que elevam ao apogeu e reduzem a indigentes
que calam a voz dos que não tem vez
que roubam os sonhos dos que nem realidade tem..."
(Luis Lima)

Beijos...

Postar um comentário