quarta-feira, 4 de agosto de 2010

pena punição

não vale a pena sentir pena de quem tem a pena do índio
mas vale a pena sentir pena de quem tem pena de morte
não vale a pena sentir pena de quem tem a pena na mão
mas vale a pena sentir pena de quem pena pela conduta
nada vale o que nada tem muito obrigado de nada é praxe e prazer
tudo depende de tudo mais menos se enxerga tão perto ao que tudo vê
enquanto a gente festeja a bandeira dos quinhentos anos
outros quinhentos em planos depenam planícies planaltos
arquivo corrente arquivo algemado

arquivo morto arquivo queimado
pichação na selva de concreto armado
todas as revoltas cirandas ao quadrado
dispersão fumaça de moralidade
e bolas de borracha recursos democráticos
arquivo corrente arquivo algemado
arquivo morto arquivo queimado
havia todavia uma via de haver
além da vã filosofia ser ou não ser
pena é punição pena punição
salve salve o paço
viva a alforria aia mera fantasia
salve salve o pátrio
viva a hipocrisia no prato de cada dia
sombrinhas dos generais
bainhas dos coronéis
nosso país não vale seu conto de réis

3 comentários:

Guilherme disse...

Linda letra, pai.
E tem tudo a ver com você, com seu modo de contestar.
Bjão!

Suzana Martins disse...

Lindo demais meu tão amigo Arrumador de Palavras...

A única pena que gosto é aquela que escreve letras!!^^

Beijos no seu coração!!

Te amor!

Bruna Mendes ;* disse...

oii Sr. Luis é a Bruna da coca-cola ;)


adorei o seu trabalho parabéns

haaa já conheço o Sr. agora olhei a sua foto hehhehe

abraço.

Postar um comentário